Matheus Melo, do Brasil: estudando Administração de Empresas no Rockland Community College em Suffern, NY

Matheus Melo, do Brasil: estudando Administração de Empresas no Rockland Community College em Suffern, NY

Em nosso esforço para levar um bom conteúdo para o maior número possível de pessoas, o texto deste artigo foi traduzido automaticamente, então desculpe quaisquer erros. Obrigado!

Por que você decidiu estudar nos EUA?

Sempre foi um sonho para mim vir para os Estados Unidos. Acho que este país tem uma infinidade de oportunidades acadêmicas e profissionais para eu começar minha carreira e crescer como pessoa.

Além disso, adoro inglês e isso também influenciou minha decisão de vir para cá.

Por que você escolheu o Rockland Community College (RCC)?

Sua ótima localização: a menos de 40 quilômetros de Nova York. O RCC é muito acessível em comparação com qualquer outra faculdade no estado de Nova York. Além disso, eu estava muito interessado no programa RCC Honors, que dá aos alunos uma grande oportunidade de transferência para as melhores universidades.

O que você mais gosta no seu programa?

Gosto da atenção e dedicação de cada pessoa que trabalha na faculdade e de como eles estão dispostos a ir além para ajudar os alunos. Por exemplo, passei por condições econômicas severas no meu segundo semestre. Pedi ajuda ao colégio e consegui várias bolsas que me possibilitaram continuar estudando. Além disso, o RCC me dá muitas oportunidades de me envolver e adquirir ótimas habilidades que serão úteis para o resto da minha vida.

O que você mais sente falta em casa?

Minha família, amigos e o clima quente da minha cidade natal, o Rio de Janeiro.

Qual foi a sua maior surpresa sobre a vida e a educação nos Estados Unidos?

A qualidade de vida e os serviços nos EUA realmente me surpreenderam. Também fiquei muito surpreso quando soube que você precisa ter um diploma de bacharel para ir para a faculdade de direito nos Estados Unidos. No meu país, é possível para um aluno cursar Direito logo após o ensino médio.

Como você lidou com:

... diferenças de idioma?

No começo, me esforcei para me adaptar a um novo idioma, principalmente a escrita. Ao contrário dos EUA, uma boa escrita no Brasil significa textos longos, linguagem indireta e palavras muito sofisticadas. Aprendi da maneira mais difícil a escrever curto e direto ao me comunicar em inglês.

...finanças?

Visto que o emprego fora do campus não é permitido para estudantes internacionais, é extremamente difícil arcar com os custos de educação e de vida sozinho. Portanto, trabalho no campus, o que não é apenas uma grande oportunidade de ganhar experiência, mas também me permite pagar minhas despesas de vida. Também recebo bolsas do Programa de Líderes Emergentes do Presidente e da Fundação RCC, que me ajuda a pagar as mensalidades. Sem o apoio da faculdade, provavelmente teria que abandonar as aulas.

... ajustando-se a um sistema educacional diferente?

O sistema educacional americano, no que diz respeito ao conteúdo das aulas, é de alguma forma semelhante ao sistema brasileiro. Além disso, as universidades da América exigem muitos cursos gerais, independentemente do curso que está cursando. Isso dá oportunidade para que os alunos recebam uma formação mais diversificada e completa, que se expande a partir de sua área de estudo. Por exemplo, embora eu seja um graduado em negócios, preciso fazer dois semestres de um curso de ciências, como biologia. Desde a

a maioria das escolas de ensino médio no Brasil não tem laboratórios, eu tive uma aula de laboratório pela primeira vez na minha vida no semestre passado. Foi uma ótima experiência e acabei tirando “A” nessa classe.

Quais são suas atividades?

Eu sou o secretário do Conselho de Atividades Estudantis no campus. O SAB é um clube responsável por planejar e executar vários eventos culturais, educacionais e recreativos dentro e fora do campus. Sou membro do Programa de Líderes Emergentes do Presidente. Um programa desenvolvido para dar aos alunos habilidades importantes de liderança e comunicação. Faço parte do Programa de Voluntariado e sou estudante trabalhadora da secretaria de admissões. Além disso, sou membro do Programa de Líderes Emergentes do ECCEL Eleanor Roosevelt Community College e participo do Comitê de Educação Internacional e do Conselho de Diversidade no campus.

É fácil ou difícil fazer amigos nos EUA?

Fiz vários amigos. É incrível ver pessoas com origens tão diversas. No entanto, acho mais difícil me conectar com americanos do que com estudantes internacionais. Portanto, a maioria dos meus amigos são de outros países.

Quais são seus objetivos de carreira?

Meus objetivos de carreira são concluir meu bacharelado em administração, cursar direito, me tornar um advogado corporativo e, eventualmente, abrir minha própria empresa para ajudar as pessoas necessitadas em meu país. Estudar nos Estados Unidos me dá um conjunto único de habilidades e credenciais que serão fundamentais para competir não só no mercado de trabalho americano, mas também no brasileiro.

Qual é o seu conselho para outros estudantes de seu país que estão considerando uma educação nos EUA?

Quando você começar sua jornada rumo ao ensino superior nos Estados Unidos, enfrentará vários desafios, assim como eu. O mais importante que você precisa saber para superá-los é acreditar em si mesmo e não deixar ninguém decidir o seu futuro por você. Outro conselho é se envolver. Depois de começar a faculdade, você precisa se inscrever em clubes e organizações no campus. Dessa forma, você não apenas ganhará alguma experiência valiosa, mas também criará as conexões necessárias para ter sucesso. Ninguém pode fazer tudo sozinho e a vida gira em torno da jornada e das pessoas que você encontra ao longo do caminho.

Show More

SUSA_img_200x55.jpg
Baixe nossas revistas Study in the USA®